Quando a nossa mãe faz a sua Páscoa

Publicado em: 11 maio 2020

Talvez você já tenha lido esta mensagem: “Mãe, a única tristeza que a senhora fez comigo foi ir embora”São Jerônimo escreveu em resposta à morte da nossa mãe: “Nós lamentamos porque ela faleceu; mas também bendigamos por tê-la no coração de Deus, porque, verdadeiramente, ela está perto de nós”.

shutterstock/Serhii Brovko
shutterstock/Serhii Brovko

Podemos estar desolados com a morte da nossa amada mãe. Nossa tristeza por ela é a nossa resposta ao seu amorQuanto mais você estiver interligado a sua mãe em sua vida, maior será a dor de dizer adeus. A mãe é indispensável. É impensável dimensionar, verbalizar ou mesmo expressar o sentimento de falta da mãe. O espaço vazio que ela deixa não pode ser preenchido por ninguém. Quando perdemos a nossa mãe, é como se um pedaço do sol desaparecesse da nossa vida para sempre.

A dor dessa perda pode se tornar menos angustiante ao longo do tempo, mas a perda continuará para sempre e poderá se tornar ainda mais dolorosa ao longo dos anos.

Todavia, não devemos nos deixar levar pela tristeza. Para tanto, inspirados por São Jerônimo devemos agradecer por termos tido uma mãe que foi, em nossa vida, a manifestação amorosa do Deus da Vida.

.:: Palavra Redentorista ::.

Os sábios dizem que Deus nos deixou três sinais do Paraíso: as flores, o sorriso de uma criança e o coração de uma mãe. O coração de toda mãe é o reflexo visível do amor de Deus por nós. Cada mãe é um presente de Deus, pelo qual devemos agradecer fervorosamente a Ele.

Um místico testemunhou: “Porque Deus não pode estar em toda a parte, ele criou as mães”. Devemos ser felizes e agradecidos pelo amor da nossa mãe, por sua bondade, cuidado, paciência e perdão. A melhor forma de testemunhar nossa amorosidade por nossa mãe é continuar nossa peregrinação existencial com atitudes geradoras de vida, dignidade e amor – tentando ser uma pessoa mais integrada, um ser humano melhor, como ela foi – para compartilhar o seu testemunho de vida. Se todas as pessoas tentassem testemunhar o amor que sua mãe lhes ofertava generosamente, o mundo se tornaria muito mais humano, muito mais encantador.

As mães não morrem porque o seu amor é mais forte que a morte.

Agradeçamos a Deus, porque do Céu a nossa mãe continuará perto de nós. As mães não morrem porque o seu amor é mais forte que a morte. Mesmo que tenhamos que enterrar o seu corpo, ela viverá com Deus e com o seu grande amor e carinho estará mais próxima de nós.

A nossa amada mãe aceitou a morte na firme convicção de que nos verá novamente. E com a mesma fé, devolvemo-la às mãos de Deus, seu Deus, em quem ela confiou durante toda a vida. Portanto, o Bom Deus acolherá com grande jubilo, em seu Coração infinitamente amoroso, a nossa amada e inesquecível mãezinha, a vida que só soube amar.

Pe. Ricardo Geraldo de Carvalho

Missionário Redentorista

Fonte: A12.com

Compartilhe com seus amigos: