Projeto com os deficientes auditivos ganham novos territórios na Diocese de Luz

Início » Projeto com os deficientes auditivos ganham novos territórios na Diocese de Luz

Cresce cada vez mais a inclusão social com os deficientes auditivos dentro da Igreja, em especial, durante as celebrações Eucarísticas

As limitações dos deficientes auditivos fazem-os ultrapassar barreiras cada vez maiores. Seja na dança, na música, nas artes em geral, na escola, no mercado de trabalho e até mesmo nas atividades da Igreja. Quem nasceu com alguma deficiência física e está envolvido em um trabalho específico consegue perceber que ela não é um empecilho. Para explorar o potencial dessas pessoas, muitas instituições desenvolvem projetos que ajudam a melhorar sua autoestima e promover sua inclusão.

É neste intuito que a Diocese de Luz apoia projetos direcionados a este público como a Pastoral do Surdo. Esta ainda é uma pastoral recém-criada, mas que já vem rendendo bons frutos e ótimos resultados.

A iniciativa na Diocese começou em Iguatama, na Paróquia Nossa Senhora da Abadia, que há um ano realiza este trabalho durante as celebrações, onde um intérprete ou tradutor utiliza, por meio dos sinais, a comunicação com os deficientes, e eles passam então a entender e participar das Santas Missas.

Como a iniciativa deu muito certo, outras paróquias já estão aderindo ao projeto, como a Paróquia São Judas Tadeu, em Formiga, onde o pároco, padre Ubiratan Oliveira, que há pouco tempo, durante as celebrações, já permitiu que uma intérprete repassasse aos deficientes auditivos os momentos do rito da Missa. Depois de um tempo, o pároco viu então,a necessidade de ampliar o projeto e, com isso, já existe na Paróquia São Judas o curso de Libras, para que mais pessoas possam aderir e ajudar os surdos que há anos sonham saber e entender mais sobre o Evangelho e a catequese da Igreja.

A pioneira

Em Iguatama, o projeto se iniciou em abril de 2017, e conta com quatros voluntários. De acordo com a coordenadora Vanderleia Silva, além dos voluntários, as crianças e os coroinhas também já se preparam para aprenderem sobre as Libras (Língua Brasileira de Sinais). Vanderleia ainda comenta que na paróquia até um casamento entre deficientes auditivos já foi realizado.

Expandindo o projeto

Em conversa com a coordenadora de Iguatama, outras paróquias das cidades de Arcos e Pains também já se interessaram pelo assunto e já estudam a possibilidade de também iniciarem o projeto de Libras durante as celebrações.