Mulher e a vocação para o amor

Publicado em: 9 março 2020

Pense em um filho sem os cuidados de sua mãe, na Igreja sem as irmãs religiosas e seus trabalhos a favor do povo de Deus, nas paróquias sem as líderes dos grupos de oração, da catequese e de tantas outras pastorais. Difícil de imaginar, né?

Essas mulheres trabalhadoras, mães, consagradas e devotas assumem papéis fundamentais na sociedade, na Igreja e nas famílias. Queremos lembrar também de todas as mulheres que são verdadeiros sinais de vida, doação e amor. Cada uma delas guarda no coração uma missão especial.

Felipe Guimarães
Felipe Guimarães
Cada mulher guarda no coração uma missão especial.

mulher-mãe é guia dos primeiros passos, é aconchego e amparo para o crescimento, é ponto de referência. É ventre que gera vida humana e que, na alegria ou no sofrimento, faz dessa uma experiência única.

mulher-consagrada entrega sua vida a Deus e com doçura se dedica aos irmãos sofredores, a exemplo da maior de todas as mulheres, a Mãe de Cristo. Abre o coração ao amor e, fiel a Deus, ajuda a Igreja e a humanidade inteira a viver com dignidade. Sua vida exprime a maravilhosa comunhão que Deus quer estabelecer com a sua criatura.

LEIA MAISCeleste e Antonia, modelos de vocação e de espiritualidade femininamulher-trabalhadora se empenha em todos os âmbitos da vida social, econômica, cultural e política, zelando sempre pela justiça e pela paz. Une razão e sentimento, trazendo equilíbrio para os ambientes em que está inserida. Com uma percepção que é própria da feminilidade contribui para a verdade plena das relações humanas.

Todas elas levam ao núcleo familiar e social as riquezas da sua sensibilidade, da sua intuição, da sua generosidade.

Para os cristãos, Maria é modelo para todas as mulheres.

Por obediência à Palavra de Deus, acolheu a sua vocação de esposa e mãe da família de Nazaré. Pondo-se a serviço de Deus, colocou-se também ao serviço dos homens.

Papa Francisco disse em 2017: “Sem a mulher não há harmonia no mundo”. Que Maria, mulher por excelência, bendita entre todas, seja modelo e inspiração para todas as mulheres!

Fonte: Carta do Papa João Paulo II às mulheres, em 1995. Por: A12

 

Compartilhe com seus amigos: