Igreja no Brasil inicia formação para aplicar diretório para a catequese

Publicado em: 6 julho 2020

Assessor da Comissão Bíblico Catequética da CNBB comenta novo diretório e fala sobre importância de formação antes de práticas a partir do documento

Julia Beck
Da redação

Documento para a catequese já tem tradução em português e está sendo estudado por bispos, padres e catequistas do país/ Foto: Wesley Almeida – Canção Nova

O novo Diretório para a Catequese, apresentado à Igreja no final de junho, já é objeto de estudo e conhecimento no Brasil. O documento, destinado aos bispos e comissões episcopais, envolve diretamente sacerdotes, diáconos, pessoas consagradas e milhões de catequistas que iniciarão a etapa de conhecimento do conteúdo antes de operacionalizá-lo.

O Assessor da Comissão Bíblico Catequética da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e sacerdote da Diocese de Propriá (SE), padre Jânison de Sá Santos, explica as principais vertentes do novo diretório e como ele contribui significativamente para os avanços da catequese diante da pluralidade cultural deste novo tempo. Confira a entrevista:

noticias.cancaonova.com –  A Santa Sé lançou, na última semana, o terceiro Diretório para a Catequese, desde o Concílio Vaticano II. O processo de inculturação da catequese foi um dos motivos para a composição deste novo documento. Quais desafios a Igreja encontra, hoje, nesta nova cultura, sobretudo a digital?

Padre Jânison de Sá Santos – O maior desafio hoje é, de fato, o de como comunicar a mensagem de Jesus Cristo às novas gerações. O próprio documento fala da preocupação que tiveram em ler os sinais dos tempos. Interpretar essa nova realidade que vivemos hoje para poder evangelizar melhor… O documento afirma que “a internet e as redes sociais criam uma oportunidade extraordinária de diálogo, encontro e intercâmbio entre pessoas” (DPC, 360), por isso precisamos evangelizar a partir desses meios. Encontramos muitos jovens evangelizando e sendo evangelizados a partir das redes sociais. Em tempos de pandemia, temos experienciado a importância das redes sociais para o anúncio de Jesus Cristo.

noticias.cancaonova.com – Papa Francisco, assim como São Paulo VI e São João Paulo II, segue a perspectiva de que a catequese deve estar intimamente unida à obra de evangelização e não pode prescindir dela. Como a catequese deve assumir em si as características próprias da evangelização, sem cair na tentação de se substituir a ela ou de querer impor à evangelização os seus pressupostos pedagógicos?

Padre Jânison – A primeira parte do Novo documento tem como título “ a catequese na missão evangelizadora da Igreja”. Precisamos compreender que a evangelização é bem maior do que a catequese. Porém a catequese é fundamental na igreja para uma boa formação dos cristãos. O documento afirma que “a evangelização é um processo eclesial, inspirado e sustentado pelo Espírito Santo, por meio do qual o Evangelho é anunciado e se espalha pelo mundo” (DPC, 31). O documento reafirma que a Catequese é uma ação eclesial, que nasce do mandato missionário de Jesus Cristo, “ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho”.

noticias.cancaonova.com –  O coração da catequese é o anúncio da pessoa de Jesus Cristo. Nesta perspectiva, o diretório indica também o anúncio da misericórdia. Como a misericórdia deve ser trabalhada na visão catequética de forma qualitativa?

Padre Jânison – De fato, não podemos renunciar o anúncio de Jesus Cristo, crucificado e ressuscitado para a nossa salvação. O novo documento afirma que a catequese “pode ser considerada a realização da obra de misericórdia espiritual, ensinar a quem não sabe” (DPC 52). Lembro também o diálogo de Filipe com o eunuco. O eunuco diz “como entender se ninguém me explica?” (At 8, 26-40). A catequese tem a missão de fazer com que as pessoas conheçam e decidam seguir Jesus Cristo, Caminho, Verdade e Vida.

Padre Jânison de Sá /Foto: Arquivo Pessoal

noticias.cancaonova.com –  Na apresentação do documento, foram enfatizadas as armadilhas que impedem a eficácia da catequese, como o esquema escolar erroneamente atribuído a ela e a instrumentalização do sacramento. Como este novo diretório visa sanar essas armadilhas?

Padre Jânison:  Creio que estamos trabalhando a alguns anos esta superação de pensar a catequese como escola, salas de aula. E já existem muitas experiências de uma catequese experiencial, fundamentada no encontro com Jesus Cristo a partir da experiência com a Palavra de Deus. Penso que a inspiração catecumenal nos ajudará a superar uma catequese com esquema escolar. Em relação ao sacramento, precisamos conceber a catequese como um caminho formativo que favorece o encontro com Jesus Cristo e a consequente vivência dos seus ensinamentos. Precisamos superar a ideia de cursos para batismo, crisma e eucaristia. Precisamos convidar os interessados a conhecer, amar e seguir a Jesus Cristo.

noticias.cancaonova.com –  Uma novidade do diretório é a ligação entre evangelização e catecumenato (cf. n. 62). A partir dessa ligação que impele a uma “conversão pastoral”, como a catequese poderá se libertar destas armadilhas?

Padre Jânison – Precisamos nos abrir a este processo de conversão pastoral que o Papa Francisco tanto nos pede. Por isso, precisamos nos abrir a uma catequese sempre mais querigmática e de inspiração catecumenal. A experiência do catecumenato antigo na Igreja foi muito importante. Por isso queremos aproveitar e nos inspirar nesta rica experiência que viveram os primeiros cristãos. Vamos trabalhar para que nossa catequese seja sempre mais evangelizadora e de inspiração catecumenal.

noticias.cancaonova.com – Uma inovação do documento é o incentivo à arte como uma das “fontes” da catequese (cf. nn. 106-109). Como isso pode ser feito na prática?

Padre Jânison –  O documento afirma que todas as formas de beleza são, de fato, fontes da catequese. Podemos mostrar ao nossos catequizandos a beleza do Evangelho de Jesus Cristo, a vida dos santos e toda a riqueza na história da nossa Igreja.

Leia também
.: Documento sobre Catequese aborda cultura digital e a globalização da cultura

noticias.cancaonova.com –  O diretório apresenta a catequese querigmática como um instrumento com forte valor existencial. Por que a catequese deve ter o seu ponto de força no experimento da presença de Deus, antes de ser vista como uma proposta moral?

Padre Jânison –  Em primeiro lugar, devemos favorecer o encontro com Cristo Jesus. Precisamos anunciar o querigma e, posteriormente, aprofundar o que foi anunciado. Queremos que as pessoas se apaixonem por Jesus e sua mensagem, e depois vão se interessar em conhecer a proposta moral.

noticias.cancaonova.com –  De forma geral, como o senhor analisa este novo diretório e como a Igreja no Brasil pretende trabalhá-lo? Quais serão os próximos passos para a aplicação deste novo documento?

Padre Jânison – O novo Diretório chegou no momento oportuno para a nossa Igreja, pois ele procura responder aos novos desafios catequéticos e eclesiais. Já tivemos duas lives pela CNBB sobre o tema do novo Diretório. Também iniciaremos formações pelo canal do youtube, “catequese do Brasil”, nos dias 11 e 25 de julho, e 8 e 22 de agosto, sempre às 14h para todos os catequistas do Brasil e demais interessados na temática.  Também os regionais da CNBB, Dioceses e Paróquias com certeza irão realizar formações sobre o documento. Primeiro, precisamos conhecer o conteúdo do documento para depois operacionalizar, isto é, colocar em prática o que o novo diretório nos propõe.

Fonte: CN

Compartilhe com seus amigos: