Fraternidade em Campanha

Publicado em: 9 março 2020

Estamos vivendo o tempo litúrgico da Quaresma, portal de entrada do tempo pascal. É uma caminhada espiritual, que recorda os acontecimentos principais de nossa redenção e os atualiza sacramentalmente para nossa geração. As semanas da Quaresma nos preparam para entoar o Aleluia pascal, como a vitória da vida sobre a morte, do bem sobre o mal. Essas semanas somam 40 dias, que fazem eco à história do povo de Israel, quando, libertado da escravidão do Egito, enfrentou uma caminhada de 40 anos até chegar à Terra prometida. Lembram também os 40 dias que Jesus passou no deserto antes de iniciar a pregação do Reino de Deus.

A partir da vinda de Jesus e de seu Evangelho, a Terra prometida não é mais a conquista de um lugar, mas a transformação de nossa terra em um lugar de justiça e de paz, onde os homens vivam como irmãos, filhos de um mesmo Pai. Por isso, a Quaresma é sempre uma Campanha da Fraternidade, ou seja, uma fraternidade em campanha, porque se trata de uma caminhada, que ainda está longe de ter atingido sua meta fi

A cada ano, nossa Igreja propõe a todas as comunidades e todos os grupos uma meta intermediária, convidando-nos a dar mais um passo na construção da fraternidade proposta por Jesus e pela qual ele sacrificou sua vida. Neste ano, o tema da Campanha da Fraternidade une Fraternidade e Vida, como Dom e Compromisso. Dois ícones se projetam como inspiração para a vivência desta Quaresma: o bom Samaritano da parábola de Jesus e nossa querida Santa Dulce dos pobres, exemplo evangélico, de quem “viu, sentiu compaixão e cuidou”.

Ambos foram fraternos, porque cuidaram da vida do próximo, principalmente daqueles que estavam feridos e descuidados. Souberam valorizar a vida como dom divino, e seu amor ao próximo chegou ao extremo de se esquecerem totalmente de si próprios para salvar a vida dos outros. Eis o que significa a palavra fraternidade, tal como Jesus a anunciou e vivenciou.

Não é uma fraternidade sentimental, mas sim uma fraternidade em favor da vida do outro. Nós cremos que a vida humana é um dom divino, mas hoje estamos ainda mais conscientes de que a vida é um dom interconectado, não somente com o próximo, mas com todas as expressões de vida da terra. Qualquer atentado à vida, tanto dos seres humanos como da própria natureza, mais cedo ou mais tarde, acaba por prejudicar a vida de cada um de nós. A solidariedade fraterna pela vida é uma exigência de nossa própria sobrevivência.

A Quaresma é um “kairós”, ou seja, um tempo de graça, que nos faz participar da vida nova conquistada por Jesus em sua morte e ressurreição. Assim, nenhuma páscoa se repete. A cada ano, a graça pascal se derrama sobre a comunidade, que assumiu crer e celebrar o acontecimento essencial da fé cristã. Vale a pena integrar-se na Campanha da Fraternidade, em uma caminhada comunitária e solidária, porque o importante é acertar a direção para frente e firmar os passos, confiar na graça e projetar de modo positivo o tempo futuro, até onde conseguimos vislumbrá-lo.

Há uma terra prometida, que, já conquistada por Jesus e por tantos santos, Santa Dulce dos pobres, não permite que nos roubem a esperança de ver a humanidade transformada em fraternidade.

on

Compartilhe com seus amigos: