Em 15 de setembro, Igreja celebra memória de Nossa Senhora das Dores ou Mater Dolorosa

Publicado em: 15 setembro 2020
Pascom

Nesta terça-feira, 15 de setembro, é celebrado a Memória de Nossa Senhora das Dores ou Mater Dolorosa, um dos diversos títulos que a Virgem Maria recebera por toda a história. Tal título, segundo o arcebispo emérito de Juiz de Fora, dom Eurico dos Santos Veloso, recorda as setes dores que a Mãe de Deus sofreu na sua passagem terrena.

A devoção e o culto a Nossa Senhora das Dores iniciaram-se no século XXIII pela Ordem Servita – Frades Servos de Maria. No cristianismo ocidental, tal festa foi propagada no século XV, após o sínodo de Colônia, na Alemanha. Mas somente em 1913, o Papa Pio X estipulou a festa na data que é comemorada hoje, observando que a data foi escolhida para ficar um dia após a Festa da Exaltação da Santa Cruz, a qual foi comemorada ontem, dia 14.

“A Memória da Virgem das Dores, Senhora do Silêncio, nos faz refletir d’Aquela que, mesmo com o coração traspassado por uma espada de dor ao vivenciar o seu Filho Amado na Paixão e Morte de Cruz, Maria nos ensina a esperar e confiar nos planos e desígnios de Deus. Maria acompanhou o seu Filho até o seu último suspiro e “aprendeu o que significa a obediência a Deus” (Hb 5,8b)”, afirma dom Eurico.

Ainda conforme dom Eurico celebrar tal Memória é recordar que “possamos enfrentar e superar tudo aquilo que nos faça sofrer, pois Deus não deixa de trazer a Ressurreição para aquele que acredita no Seu Plano de Salvação”.

Devoção

Santa Brígida da Suécia diz em suas revelações, aprovadas pela Igreja, que Nossa Senhora prometeu conceder sete graças a quem rezar, cada dia, sete Ave-Marias em honra de suas dores e lágrimas, meditando sobre elas. As promessas são:

1- Porei a paz em suas famílias;

2- Serão iluminados sobre os divinos mistérios;

3- Consolá-los-ei em suas penas e acompanhá-los-ei em suas aflições;

4- Conceder-lhes-ei tudo o que me pedirem, contanto que não se oponha a adorável vontade de meu divino Filho e a santificação de suas almas;

5- Defendê-los-ei nos combates espirituais contra o inimigo infernal e protegê-los-ei em todos os instantes da vida;

6- Assistir-lhes-ei visivelmente no momento da morte e verão o rosto de Sua Mãe Santíssima;

7- Obtive de meu Filho, para os que propagarem esta devoção às minhas lágrimas e dores, sejam transladados desta vida terrena à felicidade eterna, diretamente, pois ser-lhes-ão apagados todos seus pecados e meu Filho e eu seremos sua eterna consolação e alegria.

“Que Nossa Senhora das Dores, seja nosso alento nos momentos difíceis e que esteja junto de nós intercedendo a Deus para que sejamos fortes e confiantes no Plano de Amor para conosco”, exorta dom Eurico.

Nossa Senhora das Dores, Senhora do Monte Calvário, rogai por nós!

Compartilhe com seus amigos: