Durante o primeiro encontro diocesano da Pastoral do Surdo é definida coordenação

Publicado em: 28 novembro 2019
Bernadete Seixas

No domingo, 24 de novembro, em Luz, foi realizado o 1º Encontro Diocesano da Pastoral do Surdo. Esteve presente mais de 60 participantes das cidades de: Iguatama, Lagoa da Prata, Bambuí, Capitólio, Luz, Biquinhas, Arcos, Formiga e, também com a participação do seminarista do curso de Filosofia, Vicente Henrique Alves Oliveira.

De acordo com o assessor diocesano da Pastoral do Surdo, padre Adriano Willian Silva, o encontro permitiu mapear melhor a realidade surda da Diocese, bem como teve um relato inicial das experiências vividas em cada paróquia. Na oportunidade, foi esclarecido que a Pastoral não atua somente na interpretação da missa por meio dos interpretes, mas uma inclusão dos surdos em todas as áreas e âmbitos paroquiais como os diversos sacramentos e a preparação para os mesmos, reuniões e conselhos paroquias, festas, entre outros, dando especial atenção à total integração da pessoa surda, na vida eclesial e na sociedade, tendo atenção à família da pessoa surda, interagindo e fazendo a interlocução entre as culturas, surda e ouvinte, através do uso da Língua  Brasileira de Sinais –LIBRAS, explica o assessor.

Padre Adriano, ainda destacou que é possível concluir a necessidade da pastoral na Diocese, pois além de renovar a forma evangelizadora é necessário possibilitar a integração e o protagonismo dos irmãos e irmãs que não escutam com os ouvidos, mas com os olhos e o coração, ressaltou.

Durante o encontro houve a eleição e nomeação dos cargos da nova pastoral.

Assessor da Pastoral do Surdo: Pe. Adriano Willian Silva (Iguatama)

Coordenador Surdo: Ângelo Macedo (Iguatama)

Vice coordenador: Ed Carlos Miranda (Lagoa da Prata)

Coordenadora ouvinte: Vanderleia Ilídia silva(Iguatama)

Vice coordenadora ouvinte: Mariana Aparecida Vargas Azevedo (Lagoa da Prata)

Secretária: Isabela (Arcos)

Vice secretário: Washington  (Iguatama).

Durante o encontro o bispo Dom José Aristeu anunciou e instituiu na Diocese de Luz, a Pastoral do Surdo. O assessor diocesano de Pastoral, padre Patriky Samuel também esteve presente no evento.

O primeiro encontro diocesano da Pastoral do Surdo encerrou com a celebração da Santa Missa, presidida pelo assessor padre Adriano Willian Silva.

Pastoral do Surdo: projeto com os deficientes auditivos ganham novos territórios na Diocese

As limitações dos deficientes auditivos fazem-os ultrapassar barreiras cada vez maiores. Seja na dança, na música, nas artes em geral, na escola, no mercado de trabalho e até mesmo nas atividades da Igreja. Quem nasceu com alguma deficiência física e está envolvido em um trabalho específico consegue perceber que ela não é um empecilho. Para explorar o potencial dessas pessoas, muitas instituições desenvolvem projetos que ajudam a melhorar sua autoestima e promover sua inclusão.

É neste intuito que a Diocese de Luz apoia projetos direcionados a este público como a Pastoral do Surdo. Esta é uma pastoral recém-criada, mas que já vem rendendo bons frutos e ótimos resultados.

A iniciativa na Diocese começou em Iguatama, na Paróquia Nossa Senhora da Abadia, que há um ano realiza este trabalho durante as celebrações, onde um intérprete ou tradutor utiliza, por meio dos sinais, a comunicação com os deficientes, e eles passam então a entender e participar das Santas Missas.

Como a iniciativa deu muito certo, outras paróquias já aderiram o projeto, como a Paróquia São Judas Tadeu, em Formiga, em que durante as celebrações, já há intérpretes repassando aos deficientes auditivos os momentos do rito da Missa. Depois de um tempo, devido a necessidade de ampliar o projeto, a paróquia promoveu o curso de Libras, para que outras pessoas aprendessem e ajudassem os surdos que há anos sonham saber e entender mais sobre o Evangelho e a catequese da Igreja.

A pioneira

Em Iguatama, o projeto se iniciou em abril de 2017, e conta com alguns voluntários. De acordo com a coordenadora Vanderleia Silva, além dos voluntários, as crianças e os coroinhas também já se preparam para aprenderem sobre as Libras (Língua Brasileira de Sinais). Vanderleia ainda comenta que na paróquia até um casamento e batizado entre deficientes auditivos já foram realizados.

Expandindo o projeto

Em conversa com a coordenadora de Iguatama, outras paróquias das cidades de Arcos, Santo Antônio do Monte, Bambuí, Biquinhas, Luz, Capitólio, Lagoa da Prata também já se possuem o projeto de Libras na paróquia e durante as celebrações.

 

Compartilhe com seus amigos: