Domingo de Ramos abre celebrações da Semana Santa

Publicado em: 10 abril 2017
Bernadete Seixas

O Domingo de Ramos, celebrado este ano no dia 9 de abril, marca o começo da Semana Santa e lembra a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, aclamado pelos judeus. Os ramos abençoados neste dia são o sinal da vitória da vida sobre a morte e o pecado. Após a Santa Missa, são colocados nas casas, enfeitam os crucifixos: fazem Jesus ressuscitado entrar nos lares.

No Brasil, o Domingo de Ramos foi também o dia da Coleta da Solidariedade.

Em todas as paróquias da Diocese houve missas, procissões, benção dos ramos e homilias que refletem e abre as celebrações da Semana Santa.

O Domingo de Páscoa será celebrado no dia 16 de abril.

 

Veja fotos paróquia São José Operário -Bom Despacho

Paróquia SCJ – Formiga

Paróquia Nossa Senhora do Carmo – Pains

Paróquia  NOssa Senhora do Bom Despacho – Bom Despacho

Paróquia Santo Antônio – Arcos

 

O que celebramos em cada dia da Semana Santa?

 

1) Domingo de Ramos:

A Igreja recorda os louvores da multidão cobrindo os caminhos para a passagem de Jesus, com ramos e plantas, proclamando: Hosana ao Filho de Davi. Bendito o que vem em nome do Senhor” (Lc 19,38; Mt 21,9). A procissão de ramos revive a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém. Essa procissão tem início com a Bênção dos Ramos e ocorre na parte da manhã. No final da tarde, em algumas igrejas, tem lugar a Procissão do Triunfo e o Sermão do Pretório. Neste dia, também se reflete sobre a paixão e morte de Jesus como o Filho Unigênito de Deus enviado para nos salvar dos pecados.

2) Segunda-Feira Santa: 

Neste dia, celebra-se os momentos que antecederam à traição de Judas, a entrega e à prisão de Jesus pelos soldados romanos. Em algumas Igrejas, realiza-se a Procissão do Senhor dos Passos, a Procissão do Encerro ou a Procissão do Depósito. Com o Senhor dos Passos preso, o povo vai até o adro de uma Igreja, onde é feito o Sermão da Prisão. Em geral é um dia de calmaria.

3) Terça-Feira Santa: 

São comuns as chamadas vias-sacras solenes neste que é um dia pedagógico, de reflexão e de reviver um dos momentos emocionantes do caminho de Jesus até o calvário: o encontro com Sua Mãe, Maria, na Procissão do Encontro. Ao cair da tarde, após a Missa, as mulheres conduzem o andor de Nossa Senhora das Dores enquanto os homens conduzem o andor de Nosso Senhor dos Passos, os quais se encontram em alguma praça ou lugar predeterminado. Ali se faz o Sermão do Encontro. Neste dia, em alguns lugares, ocorre também a Benção do Santo Lenho.

4) Quarta-Feira Santa:

Em diversos lugares, este dia é dedicado à Nossa Senhora das Dores. Celebram-se Missas e administra-se a unção dos enfermos aos doentes. Algumas comunidades, após a Missa vespertina, realizam a Procissão da Soledade, na qual saem com a imagem de Nossa Senhora das Dores. Durante o trajeto é feita a Via-Sacra, seguindo Maria na sua caminhada de dor. Propicia-se, também, neste dia, a Meditação das Dores de Nossa Senhora.

5) Quinta-Feira Santa:

Neste dia da instituição da Eucaristia tem início o Tríduo Pascal: Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus. Nas Catedrais, pela manhã, ocorre a Bênção dos Santos Óleos pelo Bispo e renovação das Promessas Sacerdotais com o clero. À noite, celebra-se a Santa Ceia e o Lava-Pés. O sermão desta Missa é o Sermão do Mandado ou do Novo Mandamento, onde se fala sobre a caridade recomendada e ensinada por Jesus. No final da Missa faz-se a Procissão do Translado do Santíssimo Sacramento do altar-mor da Igreja para uma capela e, às vezes, a Procissão Solene do Santíssimo Sacramento em direção à Catedral. É costume a Adoração do Santíssimo durante a noite.

6) Sexta-Feira Santa:

Neste dia de jejum e abstinência de carne, rememora-se a morte de Jesus. Segue-se com Cristo até o Calvário, contemplando as suas dores, com a Via Sacra e a Bênção do Santo Lenho. Propiciam-se confissões e a cerimônia do Perdão da Família. Por volta das 15 horas, acontece a Celebração da Paixão, com as leituras e oração universal, comunhão e adoração da Cruz. À noite, no adro ou mesmo no interior de algumas igrejas, acontece a dramatização da Paixão e Morte de Jesus, que é colocado num esquife, dando-se início à Procissão do Enterro ou do Senhor Morto, ao som de matracas, marcha fúnebre e canto de Verônica.

7) Sábado Santo:

Jesus está no sepulcro. O dia deveria ser de recolhimento, silêncio, penitência e oração. Pela manhã, celebra-se o Ofício das Comunidades, com o canto dos Salmos. Ao meio-dia ocorre em alguns lugares a Malhação de Judas e, a partir das 21 horas, tem início a Vigília Pascal, considerada “a mãe de todas as vigílias”. A Igreja mantém-se de vigília à espera da vitória do Senhor sobre a morte. Cinco elementos compõem esta Vigília: 1- a bênção do fogo novo e do círio pascal; 2- a proclamação da Páscoa, que é um canto de júbilo, anunciando a Ressurreição do Senhor; 3- Liturgia da Palavra, que é uma série de leituras sobre a história da salvação; 4- a renovação das promessas do batismo; 5- Liturgia Eucarística, em que toda a humanidade é convidada a passar das trevas para a luz.

8) Domingo de Páscoa:

A vida vence a morte! Jesus ressuscitou! Em alguns lugares, ocorre a Procissão da Ressurreição, que representa a caminhada alegre do povo que exulta e aclama o Cristo glorioso e imortal. As velas simbolizam a fé ardente no Cristo vivo, Senhor da História. É a tradicional Missa do Domingo de Páscoa.

Compartilhe com seus amigos: