Dom José Aristeu Vieira escreve carta a José de Nazaré

Publicado em: 23 março 2021

Caríssimo senhor
José de Belém, da casa de David, morador de Nazaré, na Galileia

Minha respeitosa saudação, e até com minhas desculpas se esta carta lhe trouxer alguma surpresa e até estranheza.

Mas sim! É ao senhor mesmo a quem me dirijo, o José da carpintaria, cuja esposa se chama Maria, e seu filho, Jesus. Falam tão bonito, tantas maravilhas de sua família que dá uma vontade imensa de visitá-lo, conhecer o senhor e os seus, visitar sua carpintaria, ver o senhor aí trabalhando com seu filho!

Sabe, senhor José, para começar, nem nos conhecemos, pessoalmente. Bom, também eu me chamo José por causa do senhor, pois meus pais o admiram muito, só de ouvirem falar.  Mas senhor carpinteiro, o que queria que soubesse, é que seu testemunho de homem bom, de terno e responsável pai, fiel e dedicado esposo, já chegou até aqui na minha comunidade, já sei que senhor é um homem muito trabalhador, religioso e honesto, de pouca conversa, até o chamam de homem silêncio, que o senhor é super humilde e que tem uma enorme sabedoria para agir nos momentos difíceis da vida, e que protege e guarda sua família, com tanta criatividade, ousadia e bravura. Até chegou a notícia por aqui através de Mateus e Lucas, e ultimamente, pelo Papa Francisco, que o senhor carrega um segredo muito especial, pois consegue escutar a Deus e desvendar os mistérios dele em sonhos, por isso mesmo consegue tomar decisões acertadas, na hora certa, e que assim os inimigos não acham beira no seu terreiro.

Então Sr. José, contam que o senhor e sua família guardam no coração mistérios e segredos de Deus muito importantes!  Então por isso, confesso que não consegui conter minha admiração, e creia-me não é mera curiosidade! O senhor poderia partilhar conosco um pouco dessa sua rica experiência de fé, de família?  Eu também vou partilhar do que vejo por aqui.

É que por aqui vão bem difíceis as coisas, precisamos tanto de seus conselhos, de seus exemplos, de seus pedidos junto a Deus.

Muitas famílias estão perdendo a fé em Deus, não tem mais tanta fé nem espiritualidade, não tem mais tempo para a oração com a Palavra, vivem algumas como se Deus não existisse, não se interessam mais pelas coisas do céu, não tem mais vínculo com sua comunidade. Sabemos que o senhor, sua esposa e filho são fiéis frequentadores das festas religiosas de Jerusalém, e das reuniões com a Palavra.

Que lástima, Sr. José, herdeiro da estável casa de David! Muitas famílias, entre nós, estão numa grande crise, primeiro porque não creem que ser família é vocação e missão recebidas de Deus. Os esposos não conseguem mais dialogar e resolver com paciência suas dificuldades, não conseguem mais se perdoar, por isso  partem para separação, o que sabemos não ser nenhuma solução.

Fiquei sabendo que seu filho, Jesus, em Nazaré crescia em sabedoria e graça para Deus e para a sociedade, mas por aqui, creia-me, muitos pais não conseguem mais educar seus filhos, não podem mais ensinar os filhos trabalhar, nem conseguem transmitir para eles o que receberam de seus pais. Até criancinhas ficam dia e noite por conta da internet, e como isso é desastroso!

Olha, José, o senhor pode até nem acreditar, mas quantos de nossos jovens estão perdidos, sem sentido para vida, seduzidos pelo ilusório mundo digital, só querem disfrutar o momento presente, não sabem mais sonhar com o futuro, não se importam com religião, nem tem mais sonhos comunitários e muitos estão afundados nas drogas, nos vícios. Está dureza.

Então eis aí, amigo de Deus, minha partilha. É talvez um desabafo, mas é mais que isso: é um pedido de ajuda, um pedido de intercessão por nós junto de Deus. Confesso, que por aqui nestas terras já correm seus segredos: que o senhor é santo e justo, que fala com Deus e o ouve até em sonhos, e que seu filho adotivo, Jesus!  Ah, desse falam que não é um qualquer! Que Ele, além da sabedoria e da bondade, tem mistérios que encabulam! Que n’Ele  há promessas de resposta para nossas esperanças! Que desde criancinha foi visitado por gente de longe, e que por essas e outras o senhor até sofreu muita perseguição, teve que se mudar para longe. É verdade tudo isso? Como gostaria de saber!

Muito obrigado pela atenção. E nunca se esqueça de rezar por mim, por meus familiares e amigos e por toda minha comunidade, pois precisamos muito, muito!

Obrigado José, saudação para os seus! Deus guarde o senhor e  família, que é alegria e esperança de benção e paz para todas as nossas. No grande desejo de encontrá-lo, adeus.

Respeitosamente,

O José do Brasil

Dom José Aristeu Vieira – Bispo da Diocese de Luz

Compartilhe com seus amigos: