25º Dia da Vida Consagrada: CNBB une-se de forma especial, aos consagrados, em seu louvor e súplica

Publicado em: 2 fevereiro 2021
Bernadete Seixas

A Igreja celebra neste dia 02 de fevereiro, Festa da Apresentação de Jesus no Templo, o 25º Dia da Vida Consagrada. A Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada, da CNBB, divulgou uma carta unindo-se de forma muito especial, aos consagrados, em seu louvor e súplica.

Jesus afirma que todos nós seremos reconhecidos como seus discípulos se nos amarmos uns aos outros (cf. Jo 13,35). Porém, se amamos, é porque Deus nos amou primeiro (cf. 1Jo 4,19). E da certeza desse amor do Pai, os Consagrados e Consagradas têm dado, por toda parte, de diferentes formas, testemunho potencializado nas mais diversas frentes da vida e da missão da Igreja (cf. DAp n. 216).

No texto, que é assinado por dom João Francisco Salm, presidente da Comissão para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada, é reafirmado que o mundo, a sociedade, as comunidades, as famílias, as pessoas necessitam de Luz. “Jesus é a Luz do Mundo precisamente porque dá testemunho do Pai, que é Amor. Na Liturgia da Festa da Apresentação do Senhor a Vida Consagrada encontra inspiração para aperceber-se vocacionada a ser Luz, testemunhando a certeza do Amor Fiel e Providente do Pai”.

Jubileu é ação de graças, é alegria, é renascimento, é nova oportunidade, é recomeço porque, olhando o passado, há tanto que agradecer, vendo o presente, há tanto que abraçar e, vislumbrando o futuro, há uma missão que chama. Maria e José intercedam junto a Jesus para que, em meio às “sombras de um mundo fechado”, brilhe sempre mais intensa a luz maravilhosa da presença alegre, despojada e generosa de quem fez de sua vida uma resposta agradecida ao Amor.

Consagrados a serviço da CNBB No dia em que comemora-se o 25º Dia da Vida Consagrada, o portal da CNBB conversou com dois religiosos que estão a serviço das Comissões Episcopais Pastorais da entidade. Eles deram seu depoimento sobre a evidente necessidade da presença iluminadora da Vida Consagrada na Igreja e no mundo.

Irmã Valeria Andrade Leal, assessora da Comissão para a Juventude:

“Como chamados a viver radicalmente o Batismo, os consagrados e consagradas são também chamados a estreitar os laços de intimidade com o Senhor e, com certeza, quanto mais próximos do Senhor mais irradiam da sua luz; da sua bondade; mais testemunham a sua misericórdia. Então, a Vida Consagrada na Igreja e no mundo, hoje, tem essa missão especial de antes de ser essa presença de Jesus testemunhando a sua compaixão; a sua bondade; a sua capacidade de ver além o coração das pessoas para poder ajudá-las, para poder servi-las.

Além disso, claro, esse serviço se expressa também nas Ordens Apostólicas dos mais diversos institutos realizados pelos consagrados e consagradas: os cuidados com a saúde, com a educação, com a promoção humana em geral, com a catequese, com a evangelização -, então com certeza o contributo da vida religiosa para o mundo e para a igreja é essencial. Eu penso que quando dizemos que a Igreja Católica é a empresa caritativa maior do mundo, o contributo da vida religiosa nessa contagem é essencial.

Nós temos religiosos em várias frentes: com imigrantes, com órfãos, com idosos, com abandonados, com pessoas com deficiência… enfim essa intimidade com o Senhor frutifica nesse serviço concreto, além da testemunha e da presença alegre do Senhor ressuscitado”.

Padre João Cândido Neto, assessor da Comissão para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada:

“A Vida Consagrada é a presença iluminadora de Jesus no mundo e em toda a Igreja. Reflete a luz de Jesus para o bem e para a salvação do mundo todo, porque é uma forma de viver radicalmente o Evangelho de Jesus.

Hoje celebramos essa consagração de Jesus. Jesus é apresentado, consagrado. Jesus pertence totalmente ao Pai. A Vida Consagrada significa esta consagração total a Jesus. É a pertença a Jesus Cristo a serviço do Reino de Deus para o bem e a salvação do mundo.

A Vida Consagrada é essa presença de Jesus que salva, que perdoa, que ilumina os caminhos das pessoas. Nela, a pessoa segue Jesus, luz do mundo, e se torna essa presença de obediência. Jesus é aquele que obedece em tudo a vontade do Pai. Na Vida Consagrada, a pessoa obedece a Deus e mostra que Ele é o Senhor, que é a sua Palavra que liberta e salva a pessoa humana.

Na Vida Consagrada a pessoa segue Jesus na castidade mostrando que o coração deve pertencer ao Senhor, a Deus, porque Ele é o absoluto da vida. Que o amor de Deus preenche o coração da pessoa e que deixa a pessoa feliz, com sentido e orientação da vida.

Na Vida Consagrada a pessoa segue Jesus na pobreza, renunciando aos seus bens, porque a sua riqueza é o Evangelho de Jesus, é a sua misericórdia, é o seu amor. Seguir Jesus na pobreza, despojamento, desapego porque Jesus é a sua única e grande riqueza.

A Vida Consagrada é luz para o  mundo porque as pessoas consagradas são um sinal de que pertencem a Jesus e estão sempre a serviço do bem de toda e qualquer pessoa”.

Saudações do Cardeal João Braz de Aviz

Ao portal da União Internacional de Superiores Gerais, o cardeal João Braz de Aviz, atual prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, no Vaticano, gravou um vídeo no qual saudou todos os consagrados:

 

Foto de capa: Wesley Almeida/Canção Nova
Compartilhe com seus amigos: