100 anos do Cardeal Paulo Evaristo Arns: de esperança em esperança

Publicado em: 15 setembro 2021

Há 100 anos nascia o Cardeal Paulo Evaristo Arns, que é conhecido como cardeal da resistência, do povo e da esperança.

Um ano de homenagens foi aberto pela Arquidiocese de São Paulo no dia 14 de setembro, data que recorda o seu nascimento, para recuperar seu legado e também reforçar a importância de seu exemplo para a sociedade atual.

Dom Paulo escolheu a Esperança, uma virtude teologal, como lema de seu episcopado: “De esperança em esperança”. De fato, Dom Paulo precisou contar com a esperança no ministério que assumiu à frente da Arquidiocese de São Paulo, em 1970, em plena Ditadura Militar.

Dom Paulo dedicou sua vida para defender os mais pobres e lutar pelos direitos humanos e pela democracia.

Dentre os inúmeros fatos de sua trajetória, um ficou marcado na história: o culto ecumênico em memória do jornalista Vladimir Herzog, que foi assassinado durante o regime militar. A celebração ocorrida no dia 31 de outubro de 1975, na Praça da Sé, reuniu milhares de pessoas.

Dom Paulo teve atitudes, hoje talvez impensáveis, como vender o Palácio Episcopal Pio XII para construir casas populares para os pobres na periferia e, depois disso, ir morar numa casa simples no bairro Sumaré.

Como um profeta em seu tempo, Dom Paulo não se calou. Em 1972, ele criou a Comissão Justiça e Paz na Arquidiocese para dar voz e conclamar para a paz diante das inúmeras atrocidades cometidas na ditadura.

Na casa do bairro Sumaré, ele se reunia com membros dessa comissão na cozinha, porque a sala dava para a rua e ficava muito vulnerável, tal era a relevância das discussões e ações organizadas pelo grupo.

De todo o país, pessoas buscavam Dom Paulo para procurar apoio na busca de familiares desaparecidos na ditadura. Dom Paulo acolhia a todos e levava ao conhecimento da comissão e ele mesmo ia até autoridades militares e políticos para ajudar essas famílias.

Alguns desses fatos são memória de Margarida Genevois, ex-presidente da Comissão nos tempos do arcebispo.

Fica em nosso coração a frase de Dom Paulo: “Coragem! Esperança sempre!”, que ele repetia a todos e manifestava sua plena confiança em Deus.

Crédito – A12.com

Compartilhe com seus amigos: