4ª Assembleia Diocesana

A caminho da 4ª Assembleia Diocesana de Evangelização

Nos dias 14 e 15 de dezembro, na cidade de Formiga, a Diocese realizará a 4ª Assembleia Diocesana de Evangelização. Com isso, foi produzido um subsídio com toda a explicação do evento e também das pré-atividades antes do grande encontro.

Em que consiste esta nova proposta? São dois eixos que sustentam este caminho: fazer de 2019 um “Ano Missionário Diocesano”, dentro da proposta apresentada pelo Papa Francisco, que dedicou o mês de outubro como “mês missionário extraordinário” e a realização da 4ª Assembleia Diocesana de Evangelização, com leveza, espiritualidade e compromisso.

Quanto ao Ano Missionário Diocesano, cada paróquia deverá usar de criatividade e compromisso para programar iniciativas que ajudem os fiéis a despertarem-se para uma consciência missionária ao mesmo tempo em que vivem ações missionárias em suas comunidades. O lema que nos embala é aquele proposto pela Igreja: “Batizados e enviados: a Igreja de Cristo em missão no mundo”, sem perder o foco da missão ad gentes. Aqui, aquelas paróquias que desejarem realizar as Santas Missões Populares, por iniciativa própria, receberão da coordenação diocesana de evangelização todo apoio, assessoria e material para as formações necessárias.

Quanto a realização da 4ª Assembleia Diocesana de Evangelização, temos como lema: “Diocese de Luz: O Evangelho é alegria; a vida é Missão!”. Em seu modo de realização, a 4ª Assembleia Diocesana de Evangelização deverá valorizar o planejamento participativo e o envolvimento de todo povo de Deus. Quando se pede um processo marcado pela leveza e pelo compromisso, o que se tem em mente são as palavras do Papa Francisco na EG no 168: “Relativamente à proposta moral da catequese, que convida a crescer na fidelidade ao estilo de vida do Evangelho, é oportuno indicar sempre o bem desejável, a proposta de vida, de maturidade, de realização, de fecundidade, sob cuja luz se pode entender a nossa denúncia dos males que a podem obscurecer. Mais do que peritos em diagnósticos apocalípticos ou juízes sombrios que se comprazem em detectar qualquer perigo ou desvio, é bom que nos possam ver como mensageiros alegres de propostas altas, guardiões do bem e da beleza que resplandecem numa vida fiel ao Evangelho.

Nossos passos … comunhão e participação!

1. Neste cenário, no caminho do planejamento participativo de realização de nossa 4ª Assembleia de Evangelização, levamos em consideração a elaboração de três marcos: referencial, operacional e organizacional.

2. O marco referencial procura responder a duas perguntas: Onde estamos? Onde queremos chegar?Aqui, as pessoas envolvidas explicitam e tematizam, desde suas práticas, a realidade na qual estão inseridas. A seguir, projeta-se o futuro desejável a ser alcançado pela ação evangelizadora, inspirada no evangelho, para a realidade em questão.

3. Para o marco referencial (ou marco teórico) de nossa próxima assembleia, temos as indicações da 3ª Assembleia diocesana de Pastoral; as DGAE e uma consulta que será enviada a cada CPE. Nesta consulta, ouviremos os conselhos a partir das seguintes questões: O que não pode faltar na ação evangelizadora em nossa Igreja Diocesana? Quais as experiências significativas que marcaram a vida de nossas comunidades durante o Centenário Diocesano? O que há de bom em sua paróquia? O que precisa melhorar?

4. Cabe ao Pároco e ao CPE ampliar e dinamizar esta escuta ao povo de Deus confiado aos seus cuidados. Por exemplo: ouvir também dos fiéis que participam das celebrações, colaboradores e voluntários, etc … Quanto mais pessoas forem ouvidas, mais chances temos de acertar em nossas decisões que comprometem o anúncio do Evangelho em nossa Igreja Diocesana.

5. Enquanto o marco referencial inicia um processo de escuta e reflexão desde a ação, o marco operacional propõe um caminho de novas ações a partir da escuta e reflexão apresentada. Por esta razão o marco operacional possui dois momentos sinalizados pelas perguntas: O que queremos alcançar? Como vamos agir?

6. Como caminho de elaboração de nosso marco operacional, temos a seguinte proposta: a elaboração de cinco “motivações” a partir das DGAE que serão apresentadas em maio de 2019 e, como a CNBB tem sinalizado, permanecerão no horizonte das atuais urgências com destaque à missão e a pastoral urbana. São estas motivações que serão apresentadas na 4ª Assembleia Diocesana de Evangelização. Aquela(as) que for(em) mais apreciada(as) será(ão) a base para a elaboração do novo plano de evangelização e, a partir dele, o projeto de evangelização.

7. A construção destas “Motivações” se dará a partir de cinco equipes de trabalho. Equipes que contarão com padres, religiosas, seminaristas, leigos e leigas que serão indicadas pelo clero e confirmadas pelo bispo. A dinâmica é a seguinte: cada uma destas equipes elaborará uma motivação, no estilo de um projeto, a partir dos temas das cinco urgências.

A construção das “Motivações”

8. Assim serão as equipes: 1) Igreja em Estado permanente de missão (revisão do projeto das Santas Missões Populares). 2) Igreja: casa da iniciação a vida cristã (atendendo ao pedido de elaboração de um itinerário para formar discípulos missionários a partir do conhecimento da pessoa de Jesus) 3) Igreja: lugar de animação bíblica da vida e da pastoral (atendendo ao pedido de uma escola de formação bíblica) 4) Igreja comunidade de comunidades (atendendo ao pedido de meios que assegurem a vida e a dinâmica das comunidades como as orientações para os conselhos e o diaconato permanente) 5) Igreja a serviço da vida plena para todos (atendendo ao pedido das pastorais sociais que anseiam um resgate da dimensão social da evangelização)

9. Deste modo queremos dar voz a todo povo de Deus a partir das urgências na ação evangelizadora e agir a partir da elaboração destas motivações, o que muito ajudará a envolver e comprometer a todos. Um caminho que valoriza os leigos e leigas e sua ação como protagonistas na evangelização.

10. Por fim, chegamos ao marco organizacional. Este que consiste em colocar em prática esta proposta. É nosso itinerário de ação. Todas as equipes formadas deverão trilhar este caminho. Para isto, a coordenação diocesana de Evangelização, juntamente com o Secretariado de Evangelização, serão os responsáveis pela articulação e motivação de todo este processo. Caminho este que requer comprometimento e responsabilidade. Servir a Deus contribuindo com nossa Diocese. Eis nosso cronograma de preparação para 4ª Assembleia Diocesana de Evangelização:

11. Por fim, não podemos nos esquecer que todo este caminho acontece na conjuntura de um ano especial: exortação apostólica vinda do sínodo da Juventude; sínodo da Amazônia, seis anos do pontificado do Papa Francisco; mês missionário extraordinário; novas DGAE (2020-2024). Que possamos trilhar este caminho de preparação para nossa Assembleia comprometidos com o anúncio do Evangelho na aurora de um novo centenário.

O Ano Missionário Diocesano: o que é e como vivê-lo?

12. A seguir apresentaremos a proposta do Papa Francisco para a celebração do Mês Missionário Extraordinário a ser celebrado em outubro de 2019. Em nossa Diocese dedicamos todo ano de 2019 à animação missionária. Todas as iniciativas assumidas pelas paróquias muito ajudará no processo de construção de nossa 4ª Assembleia Diocesana de Evangelização. Mas, qual o desejo do Papa com esta iniciativa? Que caminho percorrer? Como viver o ano missionário diocesano?

13. Em 22 de outubro de 2017, dia mundial das missões, o Papa Francisco convocou toda a Igreja para celebrar um mês missionário extraordinário. A grande motivação para dedicar o mês de outubro como mês missionário é a celebração dos cem anos da publicação da carta Apostólica Maximum Illud (de 30/11/2019) do Papa Bento XV, o mesmo Papa que criou nossa Diocese.

14. Falando da necessidade da santidade para a eficácia do apostolado, a Carta Apostólica de Bento XV marca o início de um novo impulso à responsabilidade missionária da Igreja em anunciar o Evangelho. Requalificando evangelicamente a missão no mundo, purificando-a de qualquer resquício colonial, preservando-a de ambições nacionalistas. Assim dizia Bento XV: “A Igreja de Deus é universal, nenhum povo lhe é estranho.” Com tais palavras o Papa exortava a Igreja a rejeitar qualquer forma de interesse afirmando que aquilo que constitui a razão de ser da missão não é outra coisa senão o anúncio e a caridade de Cristo, revelados ao mundo por meio da santidade de vida e das boas obras que dela emanam.

15. Com as mesmas palavras do Papa Francisco, como Igreja em missão, desejamos que a aproximação do centenário da Maximum Illud “sirva de estimulo para vencer a tentação freqüente que se esconde por detrás de toda a introversão eclesial, de todo o encerramento autorreferencial na segurança das próprias fronteiras, de qualquer forma de pessimismo pastoral, de qualquer estéril nostalgia do passado, para, em vez disso, nos abrirmos à jubilosa novidade do Evangelho.”

16. Amar a missão é ter paixão por Jesus e por seu povo. É transmitindo a fé que a Igreja se fortalece. Por esta razão a missão se desenvolve com o anúncio do Evangelho. Anúncio que tem a pregação como momento singular e irrenunciável, pois, é pela força da palavra que a fé se torna cultura transformando o modo de viver, o modo de se relacionar e se expressar. A fé transmitida fortalece a Igreja e dá sentido a missão. Proclamando a Palavra edifica-se a vida cristã missionária, autêntica expressão do poder transformador do Evangelho. A transmissão da fé, oferecida pela missão da Igreja, cria estilos de vida pessoais, culturas e modalidades de convivência social, forjados pela alegria evangélica e pelos valores cristãos.

17. Assim o desejo do Papa Francisco é despertar o entusiasmo missionário reavivando a consciência batismal do Povo de Deus, retomando com novo impulso a transformação missionária da vida e da pastoral. Eis o grande objetivo. Sendo a ação missionária o paradigma de toda obra da Igreja (EG 15), trata-se de “pôr a missão de Jesus no coração da Igreja, transformando-a em critério para medir a eficácia de suas estruturas, os resultados de seu trabalho, a fecundidade de seus ministros e a alegria que eles são capazes de suscitar. Porque sem alegria não se atrai ninguém” (Reunião do Comitê diretivo do CELAM, Bogotá, 7 de setembro de 2017).

Realização do ano missionário

18. Missão é envio para a salvação que realiza a conversão do enviado e daquele a quem ele se destina. A nossa vida, em Cristo, é uma missão! A dimensão missionária do nosso batismo se traduz em testemunho de santidade e proximidade que dá vida e beleza ao mundo. Neste horizonte, para bem realizarmos o ano missionário diocesano, e por sua vez o mês missionário, não podemos perder de vista os quatro pilares espirituais apresentados pelo Papa que orientam nossas ações e iniciativas: o encontro pessoal com Jesus Cristo, vivo na Igreja; o testemunho dos santos e dos mártires da missão; a formação catequética para a missão; e a caridade missionária.

19. Para bem viver este ano missionário, apresentamos algumas iniciativas que não desejam outra coisa senão ser um instrumento para inspirar, sugerir e incentivar a criatividade de nossas comunidades. Tais iniciativas concentram-se em três empreendimentos: Liturgia da Palavra; a vida dos Santos e festas dos padroeiros(as); formação.

20. Liturgia da Palavra: “A intimidade da Igreja com Jesus é uma intimidade itinerante, uma comunhão missionária.” (EG 23) Trata de estimular e favorecer espaços e meios necessários para encontro pessoal com Jesus Cristo, vivo na sua Igreja, valorizando a Eucaristia, a Palavra de Deus, a oração pessoal e comunitária.

21. Vida dos Santos e Festas dos padroeiros (as): “A santidade é o rosto mais belo da Igreja”. (GE 9) promover iniciativas que visam estimular e favorecer espaços e meios necessários para conhecer a vida dos santos e dos mártires da missão e os confessores da fé, que são expressão das Igrejas espalhadas pelo mundo inteiro.

22. Formação: “A ação missionária é o paradigma de toda a Igreja” (EG 15). São considerações sobre a missão. Para esta formação a Santa Sé publicou um guia de orientação que trás uma série de reflexões sobre a missão. Quem desejar adquirir, gratuitamente, basta entrar em contato com o centro missionário de evangelização Dom Belchior. Sobre a formação, trata-se de estimular e favorecer espaços e meios necessários para uma formação bíblica, catequética, espiritual e teológica sobre a missão dando destaque a atualidade e pertinência da ad gentes (aos povos) nos dias atuais.

23. Propostas de ação para as Paróquias:

  1. Realizar a abertura do mês missionário extraordinário em cada Paróquia e comunidade. Valorizando o tema e o lema propostos: Batizados e enviados: a Igreja de Cristo em missão no mundo.
  2. Realizar uma vigília no dia 19/10/2019. O roteiro para a vigília será entregue ao clero no mês de julho de 2019, durante o retiro espiritual.
  3. Promover visitas missionárias no território de cada comunidade. Para este fim temos um roteiro para as visitas organizado pelo Centro Missionário de Evangelização Dom Belchior.
  4. Promover a novena missionária com os testemunhos da campanha. Aqui pode ser inserido a vida dos santos e santas missionários. Dar a conhecer seu testemunho de vida que estimula a ação e desperta novas vocações. Quem desejar adquiri a novena, confirmar o pedido junto ao Centro Missionário Dom Belchior até o dia 30/05/2019.
  5. Incentivar a coleta do Dia Mundial das Missões que será no fim de semana de 19 e 20/10/2019.
  6. Incentivar as novenas e festas dos padroeiros com temas relacionados à missão.
  7. Incentivar a criação e fortalecimento dos COMIPAs (Conselho missionário paroquial).
  8. Incluir preces nas eucaristias rezando pelas missões no mundo todo e de modo particular por nossa Igreja irmã na Amazônia, Diocese de Guajará-Mirim no estado de Rondônia onde temos como missionário o Pe. Edson Augusto Teixeira, servindo a Paróquia Cristo Salvador na cidade de Cerejeiras-RO. Também a ele devemos também dedicar nossa oração, fraternidade e corresponsabilidade.
  9. Propor aos jovens, as pastorais, aos movimentos, associações e serviços uma atividade pública de anúncio do evangelho e gestos concretos de comunhão com as missionários Ad gentes. Na reunião do clero de fevereiro será refletido sobre um gesto missionário ad gentes.
  10. Já está disponível para todas as paróquias 31 meditações espirituais de caráter missionário sobre as leituras da liturgia diária para todo o mês de outubro. Esta reflexão poderá ser utilizada para a celebração da Santa Missa ou para momentos de catequese com a comunidade. Quem desejar adquirir, sem custo algum, é só entrar em contato com o Centro Missionário de Evangelização em Luz-MG.

24. Assumamos com alegria e empenho este belo caminho que a Igreja nos propõe. Que cada comunidades se esforce por implementar meios necessários para avançar no caminho de uma conversão pessoal, pastoral e missionária, que não pode deixar as coisas como estão. O Evangelho é tudo para nós! Que possamos compartilhar com todos a alegria do Evangelho que transforma a vida e muda os caminhos da história.

25. Em toda esta caminhada a coordenação diocesana de evangelização deseja oferecer um fraterno auxílio de presença, incentivo e comunhão. Estaremos à disposição de cada vigário forâneo, paróquia e serviço evangelizador sendo elo de comunhão a fim de contribuir para que cada pessoa, cada comunidade e ministério a serviço do evangelho sinta-se acompanhada nesta bela jornada.

26. Por fim, trilhando este caminho missionário e vivendo todo processo de preparação para nossa 4ª Assembleia Diocesana de Evangelização, queremos renovar nosso compromisso primeiro: evangelizar! Com renovado ardor missionário, congregados e nutridos pela Palavra de vida e de salvação, como discípulos missionário do evangelho, solidários e comprometidos com a dignidade e sacralidade da vida humana, rumo ao reino definitivo.

Fraternalmente, em Cristo Jesus Pastor e Missionário
Pe. Patriky Samuel Batista
Coordenador Diocesano de Evangelização
Luz, 1º de Janeiro de 2019

Oração para o Mês Missionário Extraordinário

Pai Nosso, o Teu filho unigênito Jesus Cristo, ressuscitado dentre os mortos,
Confiou aos seus discípulos: “Ide e fazei discípulos todos os povos.”

Recorda-nos que, pelo batismo, tornamo-nos participantes da missão da Igreja.
Pelos dons do Espírito Santo, concedei-nos a Graça de sermos testemunhas do Evangelho, corajosos e vigilantes, para que a missão confiada à Igreja, ainda longe de estar realizada, encontre novas e eficazes expressões que levem vida e luz ao mundo.

Ajudai-nos, Pai Santo, a fazer com que todos os povos possam encontrar-se com o amor e a misericórdia de Jesus Cristo, Ele que é Deus convosco, e vive e reina na unidade do Espírito Santo, agora e para sempre.

Amém.

Informações gerais da 4ª Assembleia
Nossa Missão é Evangelizar!
O Ano da Graça 2014
Ungido para evangelizar os pobres
Vivendo a alegria do Evangelho, celebramos o centenário de Luz!
Redescobrindo a alegria de ser paróquia missionária 2017
Agradecendo a nosso Deus e nosso Pai, celebrando um centenário jubilar!
Encontros com a sociedade
A grande confraternização das Comunidades
Na aurora de um novo centenário, Evangelizar!
1ª Assembleia Diocesana de Pastoral 
2ª Assembleia Diocesana de Pastoral 
3ª Assembleia Diocesana de Pastoral 
DGAE 2019-2023
Regimento da 4 ADE
Objetivos e tarefas das Equipes Motivadoras
Encontros para 4a Assembleia de Ev da Diocese Luz
Trabalho conclusivo das equipes motivadoras da 4 ADE
Material da Reunião do Clero – Diocese de Luz – Setembro/2019

 

 

Compartilhe com seus amigos: