Dom Aristeu visitou Paróquia Sagrado Coração de Jesus, em Bambuí

Publicado em: 1 agosto 2019
Bernadete Seixas

Teve início no dia 25 de julho, a visita pastoral do bispo Dom José Aristeu, na Paróquia Sagrado Coração de Jesus, em Bambuí. Dom Aristeu foi recebido por representantes de pastorais, movimentos e comunidades, com quem almoçou após uma oração, agradecendo pela acolhida.

Durante sua apresentação, Dom Aristeu, disse não saber ao certo quem era, pois se considera um ser em formação, e completou: “Sou mais eu, quando estou em comunidade”. Durante a tarde, buscando conhecer melhor a paróquia, o bispo visitou a Creche Vovó Sudária, onde conversou e abençoou as crianças. Logo depois, seguiu para empresa de produtos apículas Natucentro, sendo apresentado aos dirigentes, conhecendo e abençoando todos os setores.

A acolhida oficial foi realizada à noite, com a celebração da Santa Missa na comunidade rural Nossa Senhora Aparecida. Um número expressivo de fiéis, mobilizados pelos coordenadores se fizeram presentes. Ao iniciar a celebração, Dom Aristeu agradeceu a acolhida hospitaleira na cidade de Bambuí. Aproveitou a oportunidade para explicar a importância da visita pastoral, obedecendo ao pedido do Papa Francisco por uma Igreja em saída, proporcionando a interação com os padres e a vivência das comunidades. Em sua homilia, chamou atenção para a necessidade de uma vida em doação, na busca pela santidade. Por ocasião da festa de São Cristóvão, celebrada no dia, utilizou a história do santo para reforçar a importância da doação ao próximo, para uma efetiva conversão. Finalizou, falando da alegria de ser católico e dos três pilares que identificam os fiéis: a eucaristia, a proximidade com os representantes da Igreja e a devoção Mariana

Ao final da celebração, a coordenadora Eliane, falou da honra em receber pela primeira vez, um bispo na comunidade rural. Agradeceu a todos os envolvidos na realização da acolhida, especialmente ao pároco, padre Samuel Henrique Borges, pelo empenho em proporcionar aquele momento. O primeiro dia de visita foi encerrado com uma farta partilha, preparada pela comunidade.

Dom Aristeu interage com as Comunidades da paróquia

Na sexta-feira, 26 de julho, Dom Aristeu conheceu um pouco mais das comunidade urbanas da paróquia. Seguindo o roteiro, caminhou pela manhã e visitou a comunidade Imaculado Coração de Maria, onde tomou café com lideranças e membros. O almoço realizado na comunidade Nossa Senhora de Fátima. À tarde conduziu uma partilha na comunidade Santa Luzia. Nos três momentos, o bispo iniciou com oração, fez uma breve reflexão e partilhou sobre a realidade de cada comunidade.

O segundo dia de visita pastoral foi finalizado com a Santa Missa na Matriz do Sagrado Coração, com a participação dos catequista, jovens em catequese e familiares, equipe da Missa com as Crianças e Apostolado da Oração. Por celebrar nesse dia, Sant’Ana e São Joaquim, avós de Jesus, saudou os avós presentes e os felicitou por seu dia. Aproveitou para agradecer a Deus a benção e a alegria de ser família, primeira, maior e mais antiga instituição da humanidade. Responsável pela primeira catequese, continuada na comunidade. Cabendo à igreja, na figura da catequista, direcionar e reforçar o que foi aprendido em casa. Durante a celebração foi realizada a Primeira Eucaristia de alguns jovens, que se preparavam para o Crisma, no dia seguinte. No encerramento da celebração, Dom Aristeu convidou as crianças presentes para ouvirem uma história, refletindo sobre a importância de manterem vivas a fé e a esperança em Jesus, que ilumina a todos.

Após, o bispo se reuniu com catequistas e equipe da Missa das Crianças. Iniciou falando da vocação de ser catequista, devendo ser compreendida como resposta ao chamado, para cumprir seu propósito de propagar a Palavra de Deus. Refletiu sobre o principal pilar da catequese: a formação de Jesus nas crianças. Que para alcançar seus objetivos, deve ser repensada, tornando-se mais dinâmica e atrativa. Não podendo ser vista como um processo de formação, finalizado com um certificado. Que os sacramentos recebidos não devem ser o ponto final, mas o caminho na formação. E uma vez, tomando conhecimento da transformação através deles, poder vivê-lo após o período de preparação. Devemos ressaltar a dificuldade atual em trazer as pessoas para a Igreja, despertando nelas o interesse. Ao falar da necessidade de uma leitura orante, sugiro métodos para a reflexão e prática dos textos bíblicos, comentou o bispo.

Finalizou o momento com uma dinâmica, meditando sobre a conversão de São Paulo após conhecer Jesus.

A reunião foi finalizada com confraternização e partilha.

Textos por: Luiz Henrique – Paróquia SCJ/Bambuí.

Compartilhe com seus amigos: