Cultivemos a generosidade em nosso coração

Publicado em: 8 julho 2019

Nos dias atuais, encontrar quem se disponha à partilha, verdadeiramente, é um desafio! São tantos os compromissos, as despesas e as correrias que até se tem o enorme desejo de realizá-la, mas, para muitos, isso fica só no desejo.

Como nos diz São Paulo em I Coríntios 9,6: “Convém lembrar: aquele que semeia pouco, pouco ceifará. Aquele que semeia em profusão, em profusão ceifará”. Quem já não teve o impulso de dar algo? No entanto, muitos até ficam constrangidos por não poder dar nada ou poder dar menos do que gostariam.

Cultivemos a generosidade em nosso coração

Foto ilustrativa: evgenyatamanenko

A generosidade com as obras de Deus eleva nosso coração junto ao d’Ele

Nos tempos em que vivemos, poucos param para pensar que exercer toda espécie de generosidade será ocasião de agradecer a Deus. Sim, de agradecimento, pois Ele provê nossas necessidades. Além disso, por meio da oferta, celebramos a própria vocação de poder imitar a generosidade de Deus Criador e de Jesus, como está escrito no Evangelho de São Mateus, capítulo 10, versículo 8: “Recebestes de graça, de graça daí”. É uma graça poder dar, poder partilhar! Dar a Deus o que é de Deus!

Quando contribuímos materialmente com as obras de Deus, nesta terra, estamos não tão-somente contribuindo materialmente, pois ao prover as necessidades materiais dessas instituições, também estamos levando os irmãos a Deus, a conhecê-Lo e amá-Lo. Dessa forma, estamos contribuindo para que eles tenham um coração agradecido. Estendendo a mão para que se eleve o coração.

É isso que acontece quando estendemos nossa mão ao necessitado ou o fazemos por meio de uma obra de caridade. Não só contribuímos para as necessidades dele, mas também abrimos as portas para que daquele coração surja uma fonte de ações de graças ao Senhor. Visto que aquele que recebe, reconhecendo tal virtude, glorifica a Deus pela generosidade da oferta. E, além disso, dedica a mais terna afeição, bem como sua gratidão e oração à pessoa que o ajudou e a Deus Pai.

Leia mais:
.:Cultivemos os vínculos e laços a partir do amor
.:Você sabe a importância da dignidade da pessoa humana?
.:O que entendemos que venha a ser o ser humano e o bem comum?
.:A sociedade precisa realizar grandes transformações

Portanto, não perca as oportunidades de exercer tão maravilhosa virtude! Não espere ter muito para ofertar; comece a fazer isso de um gesto afetuoso até a oferta material. Nunca pense que é pouco o que você tem para dar! O importante é acreditar que, no seu “pouco”, Deus aí está para fazê-lo valer muito mais, multiplicando seu gesto a ponto de tocar outros corações, mobilizando-os a entrar nesta linda aventura de dar sem nada esperar em troca.

Assuma e celebre sua vocação de imitar a generosidade do Pai do Céu!

Gleiciane de Castro

Fonte: CN

Compartilhe com seus amigos: