Outubro Rosa destaca importância do diagnóstico precoce

Maior causador de mortes por câncer em mulheres e responsável por 25% dos novos casos da doença, o carcinoma de mama matou, em 2013, 14 mil brasileiras, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA). No mês de outubro, a importância da prevenção e diagnóstico precoce é ressaltada com diversas atividades em toda região e a Associação de Combate ao Câncer do Centro-Oeste de Minas (Acccom) realizou a abertura das ações do Outubro Rosa, divulgando dados, explicando métodos e definindo o diagnóstico precoce como essencial para um resultado positivo ao tratamento.

De acordo com a Associação de Combate ao Câncer do Centro-Oeste de Minas (Acccom), de 1° de junho a 31 de agosto deste ano, 158 novos casos de câncer foram diagnosticados em mulheres no hospital, destes, 97 são de mama. Apesar do número expressivo, segundo o oncologista e cofundador da Acccom, Dr. Roney Márcio Quirino, atualmente, cerca de 1/3 dos novos casos chegam em fase inicial.

“No tempo em que trabalhei no Hospital Mario Penna, há 20 anos, devo ter me deparado com uma média de um a dois tumores primários. Hoje, cerca de 1/3 dos casos chega aqui em situação ou fase muito precoce, o que, evidentemente, propicia cura na maioria das vezes”, explicou.

DIAGNÓSTICO PRECOCE

Atualmente, devido à grande divulgação, as mulheres começam cedo a entender a importância de realizar o autoexame. Tal fator vem se mostrando, inclusive, na faixa etária das pacientes. De acordo com o radioncologista, Dr. Jônatas Alves Martins Torraca, o número de pacientes abaixo dos 35 anos tem crescido.

“Hoje, com a internet e a grande divulgação da informação, toda jovem sabe fazer o exame preventivo, isso tem colaborado muito com o diagnóstico precoce, o que é positivo, pois quando o paciente chega com estágio inicial da doença, as chances de cura no tratamento são muito expressivas”, ressaltou.

TRATAMENTO

Mesmo sendo uma doença preocupante, o câncer de mama, quando descoberto em estágio inicial, possui 95% de chance de cura, especialmente com os avanços tecnológicos e mudanças no tratamento. De acordo com a Física Médica, Jessica Karoline Eisenhut, no hospital do câncer, atualmente, aproximadamente 100% dos pacientes recebem radioterapia tridimensional, método eficiente e menos invasivo.

“Na radioterapia tridimensional, o tratamento é feito com tomografia, com isso, consegue-se controlar a distribuição da dose para os órgãos de risco, resultando em uma melhor qualidade no tratamento e menos toxicidade ao paciente”, afirmou.

Ainda de acordo com a profissional, com esse método, é possível garantir, além de melhores resultados, uma proximidade maior aos protocolos clínicos definidos.

CURA

Receber um diagnóstico de câncer é um choque para qualquer pessoa, por isso, a unidade conta com psicólogos, e ainda, os médicos são preparados para realizarem a abordagem. Para a radioncologista Dr. Fernanda Chaves de Freitas, no caso do câncer de mama, os pacientes precisam entender que as chances de cura são grandes e se manterem confiantes e firmes no tratamento.

“Algumas pacientes já chegam muito abaladas com a notícia, então nós tentamos que mostrar que, graças a Deus, esse câncer não é um bicho de sete cabeças, não é uma doença tão mortal, como era considerada antigamente. Hoje, com os avanços, 90% das pacientes com câncer de mama são curadas”, destacou.

Ainda segundo a especialista, nos casos gravíssimos e evoluídos, é necessário ser honesto, tanto com o paciente, quanto com a família.

“Embora tenhamos tido um avanço enorme no cuidado e tratamento com a paciente, nada substitui a importância do diagnóstico precoce, porque, com certeza, quem tiver um tumor menor, terá uma chance de cura maior”, concluiu.

  Fonte: G37.com.br

Desenvolvido por: logo celula