A grande confraternização das Comunidades

E assim, nos achegamos ao grande dia 8 de julho de 2018. Mais de dez mil pessoas passaram pela praça da Catedral. Missa presidida pelo Núncio Apostólico, Dom Giovanni D`Aniello; presença de muitos padres, bispos, religiosos(a)s e as forças vivas de nossa Diocese. Foi a primeira vez que uma missa foi transmitida ao vivo de nossa Catedral para todo o Brasil através da TV Horizonte e da TV Canção Nova. Uma linda festa que nos compromete ainda mais com a evangelização no centro oeste de Minas Gerais.

Em sua homilia o Núncio Apostólico destacava: “Como podemos agradecer melhor ao Senhor se não trabalhando juntos na mesma direção que é crer em Cristo. Hoje quando vamos sair dessa Igreja não temos que sair depois de ter assistido a uma outra missa, talvez diferente porque são cem anos, talvez porque está com tantos bispos e temos que sair daqui transformados com um coração diferente. Aquele coração que quer dizer “sim eu quero!” Eu quero, eu posso participar na transformação do mundo para que ele seja melhor. Eu quero fazer com que a minha Igreja, que está nesta Diocese de Luz, possa ser mais que uma luz, um farol onde todo mundo possa se dirigir para encontrar o Cristo que prega; o que Cristo anuncia; o que Cristo quer que nós façamos sempre o melhor.

Eternizado ficou o trabalho de mais de 300 voluntários em diversas equipes acolhendo e servindo com amor o Povo de Deus de nossa Diocese! Bendito seja Deus por tantas alegrias e trabalho realizado com compromisso, zelo, amor e testemunho vivo do Evangelho.

Compromisso expresso também nos jubileus do segundo semestre de 2018: Catequistas, religiosidade popular, 21ª Romaria das águas e da Terra de Minas Gerais, jubileu do Clero, Jubileu da Juventude, dos Ministros extraordinários. Os primeiros passos para o novo centenário.

Quanta coisa bonita e bem vivida! Assim, chegamos a uma nova etapa evangelizadora de nossa Igreja Diocesana. Com este mesmo ardor, como Igreja centenária e atenta aos sinais dos tempos, queremos Evangelizar; e de que modo?

Tendo como horizonte o caminho do nosso primeiro centenário e de modo particular desde a 3ª Assembleia Diocesana de Pastoral, percebemos que muitas e boas coisas foram sendo realizadas, mas, ainda temos muito o que fazer. Dando continuidade a este processo, percebe-se que este primeiro despertar missionário precisa agora ser aprofundado. No contexto de uma Igreja em saída missionária e comprometida com a iniciação a vida cristã, começamos a construir o caminho de nossa 4ª Assembleia Diocesana de Evangelização.

Compartilhe com seus amigos: