Dom Eurico dos Santos Veloso

  • Nasceu no dia 13/04/1933, em Sarandira, no município de Juiz de Fora – MG, era filho de João Custódio Veloso e Ana Maria Bettarelo Veloso. Fez os estudos do Ensino Médio em Sarandira e Juiz de Fora. Entrou para o Seminário Arquidiocesano Santo Antônio, em 1950. No Seminário Maior São José, da Arquidiocese de Mariana, cursou Filosofia e Teologia, a partir de 1956. Em períodos posteriores, reconheceu o curso de Filosofia na Faculdade Selesiana, em São João Del Rei. Fez complementação em Direito Canônico, no Instituto Pio XI, em São Paulo, no ano de 1983.
  • Foi ordenado padre aos 22/09/1962, por Dom Geraldo Maria de Morais Penido, então Arcebispo de Juiz de Fora. E foi aí que desenvolveu o seu ministério sacerdotal: trabalhou no Seminário Arquidiocesano em diversos cargos; atuou como capelão de hospitais e Casas Religiosas Femininas e escolas, Diretor Espiritual do Instituto Secular “Mater Christi”, foi pároco em diversas paróquias e Vigário Geral. Um aspecto da vida de Dom Eurico foi sua atuação profissional de professor da rede pública de ensino, sendo aposentado nesta função. Sua atenção, sobretudo, ao Ensino Religioso, começou como coordenador desta área nas Escolas Estaduais da Arquidiocese de Juiz de Fora e continuou seu trabalho, até a esfera estadual e na Comissão Nacional da CNBB.
  • Foi eleito Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Juiz de Fora em 18/03/1987, recebendo a sagração episcopal aos 05/07/1987. Seu lema episcopal é “In gentibus evangelizare” – “Evangelizar todos os povos” Tornou-se braço direito do Arcebispo Dom Juvenal Roriz. Aos 22/05/1991 foi eleito Bispo Coadjutor da Diocese de Luz e tomou posse deste encargo em 31/08/1991. Como Bispo Coadjutor significava que ele sucederia Dom Belchior, quando este se aposentasse. E aos 18/05/1994, tornou-se o 3° Bispo Diocesano.
  • Dom Eurico empreendeu um amplo trabalho de reorganização pastoral, administrativa e econômica na Diocese de Luz, inserindo-a de forma eficaz, na comunhão evangelizadora das diretrizes da Igreja do Brasil. A efetivação de suas propostas e orientações sempre trilharam um caminho de coragem para discutir os passos a serem dados, como também de muita firmeza para decidir e implementar as medidas necessárias para a execução das atividades. Isto evidenciava as posições e atitudes dos envolvidos, chegando às vezes, a gerar conflitos e tensões com os padres e lideranças leigas. No entanto Dom Eurico buscava o diálogo, com humildade e ferrenha disposição de acertar o caminho.
  • Suas principais iniciativas e realizações: reorganização da coordenação pastoral na diocese, foranias e paróquias; dinamização das coordenações dos movimentos e pastorais nos diversos níveis, através dos Conselhos Forâneos, Paroquiais e de Comunidades; reformas e ampliações da Residência e Palácio Episcopal; do Salão Diocesano e da Casa de Pastoral em Luz; execução do projeto administrativo com prestação de contas mensal das Paróquias e da Cúria; estabeleceu, em comum acordo com o Clero, a contribuição mensal das Paróquias para a manutenção da Diocese e dos Seminários, estabelecimento dos critérios para a manutenção dos padres; contratação de plano de saúde para os mesmos; criação do fundo Fraterno Auxílio Sacerdotal, depois transferido para Associação Diocesana de Presbíteros; ênfase na formação permanente dos padres e leigos, com a realização de diversos cursos diocesanos; criação do Núcleo da Conferência dos Religiosos do Brasil; realização da 1ª Assembleia Diocesana de Pastoral em 2000; produção, gravação e distribuição semanal de programas de rádio para cerca de 20 emissoras na diocese; elaboração e envio aos padres, às paróquias, lideranças leigas e ao povo de Deus de incontáveis e necessários subsídios de orientação pastoral e administrativa; reorganização da formação presbiteral com um projeto diocesano para as diversas casas e etapas de formação; aquisição e reforma das casas de formação; esforço para regularização do patrimônio da Diocese nas paróquias e, principalmente na sede do Bispado; criação das paróquias Santo Antônio – Arcos (21/09/1999), São Vicente de Paulo – Bom Despacho (25/11/1999), Sagrada Família – Córrego Fundo (08/12/1997), São Judas Tadeu e São Sebastião – Formiga (20/01/2000), São Sebastião – Lagoa da Prata (24/06/2000), Santa Rosa de Lima – Santa Rosa da Serra (15/08/2001); modificação dos limites paroquiais; reorganização e ampliação da OSEMD e da FASF-LUZ.
  • Algumas iniciativas mais amplas e que foram objeto de maior repercussão, demonstraram a determinação de Dom Eurico em abrir outros horizontes para a nossa diocese, tais como: a transferência provisória e a titulo de experiência de paróquias para a jurisdição de outras dioceses: São João Batista do Glória e Delfinópolis para Guaxupé; Tapira para Uberaba; São Gotardo, Matutina e Tiros para a Diocese de Patos de Minas; o desejo de constituição de dupla sede diocesana, em Lagoa da Prata, que não obteve a aprovação da Santa Sé.
  • Aos 29/11/2001, Dom Eurico foi nomeado Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora, sua terra natal e berço de sua vocação sacerdotal, vida presbiteral e episcopal, de onde partira para ser bispo de Luz. Foi empossado como 5° Arcebispo, aos 03/02/2002. Desde o dia 28/03/2009, tornou-se Arcebispo Emérito de Juiz de Fora, onde ainda reside nos dias atuais.

Brasão de Armas

 Escudo

No primeiro de azul, uma estrela de ouro.

No segundo de vermelho, uma cruz de prata.

Insígnias: 

Chapéu prelatício verde de três fileiras de borlas e cruz processional de São Domingos.

Lema: 

“In gentibus evangelizare”

Comentário: 

Dois documentos atribuem a Nossa Senhora o expressivo título de “ESTRELA DA EVANGELIZAÇÃO”.

– Evangelli Nuntiandi, de Paulo VI – n°. 82.

– Puebla, citando o anterior – n°. 303.

“a Igreja inicia um novo caminho em seu peregrinar. Que Maria seja nesse caminho ESTRELA DA EVANGELIZAÇÃO sempre renovada”.

Assim, no desempenho de uma missão pastoral evangelizadora, o bispo invoca sua proteção.

A Cruz, de São Domingos, simboliza a fé e a celebração dos 500 anos de Evangelização da América Latina.

A cor prata lembra os 25 anos de Ordenação Sacerdotal de Dom Eurico, ocorrida em 22.09.1962

O Azul simboliza Nossa Senhora. Lembra-nos a Padroeira de sua terra natal – Nossa Senhora do Livramento; de sua primeira Paróquia – Nossa Senhora das Mercês; o Instituto “Meter Christi”, do qual é Diretor e o “ANO MARIANO”.

O Vermelho, o zelo pastoral do bispo.

Breve Biografia dos Bispos Breve Biografia dos Bispos

1°. Dom Manoel Nunes Coelho, de 10 de abril de 1921 a 07 de julho de 1967

2°. Dom Belchior Joaquim da Silva Neto

Administrador Apostólico “Sede Plena” 29 de maio de 1960 a 10 de julho de 1967.

Bispo Diocesano: 10 de julho de 1967 a 18 de maio de 1994

3°. Dom Eurico dos Santos Veloso

Bispo Coadjutor:31 de agosto de 1991 a 18 de maio de 1994

Bispo Diocesano: 18 de maio de 1994 a 03 de fevereiro de 2002

Dom José Martins da Silva (Administrador Diocesano),de 05 de fevereiro de 2002 a 18 de maio de 2003;

4°. Dom Antônio Carlos Félix, de 18 de maio de 2003 a 18 de maio de 2014

Pe. Antônio Campos Pereira (Administrador Diocesano), 21 de maio de 2014 a 14 de junho de 2015 5°.

Dom José Aristeu Vieira, 14 de junho de 2015 a …

Desenvolvido por: logo celula